Buscar

A importância da contabilidade para a tomada de decisão.

A Contabilidade é a ciência que auxilia no controle do patrimônio das entidades e, devido a esse controle, é capaz de fornecer várias informações e prestar diversas declarações obrigadas pelo fisco. No entanto, a contabilidade vai além do cumprimento das obrigações legais. É através dela que se pode ter a visão das finanças necessária para se poder pensar em melhorias para o balanço patrimonial da empresa e para controlar despesas, custos, fluxo de caixa e, ainda, ter um bom lucro.


É fácil a percepção de muitas empresas falidas com pouco tempo no mercado. E pode-se dizer que a maioria dessas empresas faliram por falta de administração financeira adequada, ou seja, falta de conhecimento básico de contabilidade para ajudar a gerir uma empresa. O Brasil é caracterizado pelo empreendedorismo de necessidade - muitos empreendedores o fazem por estarem desempregados e não terem outra opção de renda, sem ter o devido conhecimento do mercado do qual participam, ou mesmo do seu produto. Em muitos desses casos, especialmente com relação às micro e pequenas empresas, o próprio dono da empresa é quem faz a gestão, mesmo sem ter conhecimento para isso. Algumas obrigações fiscais delegadas a escritórios de contabilidade que, pelo formato da relação com o cliente, acabam por apenas cumprir com as obrigações previstas na legislação, sem terem espaço para auxiliar na gestão.


Em conta disso, é importante ressaltar que qualquer empreendedor, antes de abrir sua própria empresa, precisa adquirir conhecimentos contábeis, não só para evitar a falência, mas também para fazer a empresa crescer sustentavelmente. Uma outra opção, é contratar profissionais especializados para fazer essa gestão. Com uma boa contabilidade, que busque ir além do mero cumprimento de obrigações, é possível:


  • Fazer um bom planejamento e gestão tributária: Avaliar se o regime de tributação escolhido pela empresa é o ideal envolve acompanhar com atenção a apuração e pagamento de tributos; simular e fazer uma análise crítica dos cenários com as diversas formas de tributação pelas quais a empresa pode optar (Simples Nacional, Lucro Presumido ou Lucro Real), verificando qual a mais vantajosa; acompanhar débitos e créditos fiscais, o que possibilita à empresa recuperar valores que, porventura, tenham sido pagos indevidamente a maior; evitar o pagamento de multas por descumprimento de obrigações legais.


  • Tomar decisões com base em dados voltados para a gestão, e não apenas para o fisco. Um bom exemplo disso é que o fisco obriga as empresas produtoras a apurarem o custo dos produtos usando o método de custeio por absorção. Apesar de ser o método exigido pela legislação, o custeio por absorção, por ratear os custos fixos por produto, traz muita subjetividade e arbitrariedade para o cálculo dos custos. Uma empresa com uma gestão mais profissionalizada, apresenta esse método ao fisco, porém, prepara para seus gestores relatórios onde o custeio é feito pelo método de custeio variável, que é menos subjetivo e fornece dados que podem, de fato, auxiliar na tomada de decisões.


  • Analisar a viabilidade de projetos: A contabilidade é capaz de modelar cenários para verificar se um projeto é viável ou não, em quanto tempo um investimento será recuperado pela empresa, qual a taxa de retorno que se espera de um novo projeto, etc. Assim, o gestor é capaz de verificar, com base em projeções numéricas, se deve ou não dar andamento em um projeto, em vez de contar apenas com intuição. Ainda, tendo em conta princípios da contabilidade básica, separamos duas dicas para auxiliar sua empresa:


  • Separe as finanças pessoais das contas da empresa: Quando um empreendedor abre seu negócio, é comum misturar contas pessoais com as contas da empresa, mas isso pode acarretar um grande descontrole nas finanças, dificuldades em organizar o fluxo de caixa e dificuldade em encontrar a causa de quando a empresa não vai bem. Por isso é importante que você saiba distinguir a empresa da vida pessoal. É o primeiro passo para que você tenha um bom controle financeiro. Algumas formas de conseguir esse controle são: não pagar despesas da empresa com dinheiro particular e vice-versa; ter contas bancárias separadas para a empresa e para a vida pessoal; definir as retiradas dos sócios/proprietários e não fazer retiradas fora do que foi estabelecido.


  • Acompanhamento das contas de tempo em tempo: Manter uma rotina de verificar as contas de tempo em tempo é essencial para que as finanças da empresa se mantenham controladas. Programe-se e não deixe de monitorar suas contas, para não ter nenhuma surpresa futuramente. Além do que foi citado, busque profissionalizar o controle financeiro da sua empresa para melhorar a sua gestão; converse com seu contador, peça a ele sugestões de melhorias para seu negócio; contrate uma consultoria especializada na área para fazer um diagnóstico financeiro e identificar pontos de atenção e, acima de tudo, não caia na armadilha de gerir sua empresa com base apenas na sua intuição e nas práticas comuns aos seus concorrentes.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo