Buscar

As vantagens de ser MEI

Atualizado: 28 de Jul de 2020

Trabalhar por conta própria tem sido algo comum na realidade de muitos brasileiros. Seja por conta do desemprego ou pela vontade de empreender, a procura pelo registro do MEI vem aumentando cada vez mais no Brasil. No entanto, muitas pessoas ainda não sabem o que é ser um Microempreendedor Individual e não tem conhecimento dos benefícios que podem surgir com o cadastro.

O que é um Microempreendedor Individual?

O Microempreendedor individual, é uma pessoa que trabalha por conta própria, que tenha rendimentos anuais de até 81 mil e que se formalizou. Tornando-se assim um empresário. Geralmente, quem se formaliza no MEI são os pequenos comerciantes e prestadores de serviços que estão começando com seus negócios.

Para abertura do MEI não é preciso pagar nenhuma taxa, o que torna o processo mais fácil para quem não tem muito capital para investir. Além disso, o MEI não precisa pagar as altas taxas tributárias que geralmente incidem sobre outros enquadramentos empresariais. Ao se tornar um Microempreendedor, só é necessário pagar uma quantia fixa mensal, que é acessível, sendo em torno de 58 reais.

A taxa cobrada é chamada de guia DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional) e esta é composta por até três tributos: o INSS (5% do salário mínimo), o ISS (R$5,00) e/ou o ICMS (R$1,00). Dessa forma, o boleto varia conforme cada atividade.

é possível contratar um funcionário. Ao se tornar um MEI, o empresário tem algumas vantagens em relação ao trabalho informal, sendo elas:

- Cobertura previdenciária do INSS

O Microempreendedor Individual tem acesso a vários benefícios da previdência social, como o auxílio doença, aposentadoria por idade e salário maternidade. Tudo isso, apenas pagando a guia DAS em dia. A contribuição mínima para para receber os recursos é de 10 meses para o auxílio maternidade e de 12 meses para os outros.

- Vantagens de trabalhar com CNPJ


Ao possuir um CNPJ, o empresário pode começar a emitir notas fiscais e consequentemente vender para empresas maiores que só compram com a emissão de notas. Além disso, o CNPJ facilita na abertura de contas e solicitações de empréstimos.

Outro ponto importante é que o MEI pode participar de licitações para o governo.

- Não precisa de contador

Obrigatoriamente, todos os outros tipos de empresa precisam de um contador. O MEI pode fazer suas próprias declarações em casa por meio do portal do Simples Nacional na internet. Vale lembrar que esse processo é muito importante e deve ser feito com muito cuidado. Em caso de dúvida, é sempre bom pesquisar ou procurar pessoas que entendam o processo. A Dinâmica está sempre disponível para ajudar o Microempreendedor.

- Pode contratar um funcionário

O Microempresário pode contratar um funcionário, com salário mínimo ou piso salarial da categoria. O custo para contratação do funcionário é relativamente baixo, sendo 3% do salário mínimo para a previdência e 8% de FGTS contados por salário pago mensal.

São muitos benefícios, né?

Por ser um regime criado pelo governo para regularizar a situação dos brasileiros que trabalhavam informalmente e não possuíam nenhum amparo previdenciário, o MEI quase não tem malefícios, mas mesmo sendo poucos, é importante que todos saibam quais são eles:

- Limite de renda anual

Para se enquadrar ao MEI, o empresário só pode ter até 81 mil de receitas anuais. Isso pode atrapalhar a expansão dos negócios. Dessa forma, ao ultrapassar o limite, é necessário fazer uma adequação na categoria se tornando um ME, por exemplo. Com a mudança, alguns benefícios como a baixa tributação são perdidos.


- Contratação de empregados


Quando se deseja expandir o negócio, muitas vezes a contratação de novas pessoas se torna necessária. Com o MEI só é possível contratar um funcionário. Isso pode prejudicar as empresas que estão crescendo.

Conclusão:


É indiscutível que o MEI é uma ótima alternativa para pessoas que estão começando seus negócios. Por meio dele, é possível se legalizar e usufruir de algumas vantagens previdenciárias e do CNPJ. Além de poder contratar um funcionário com taxas menores que as praticadas em outros regimes empresariais.

No entanto, para quem busca abrir negócios maiores já de início, o enquadramento pode não ser tão interessante pois limita a contratação de funcionários e a receita anual.


Escrito por:

Guilherme Almeida

3 comentários

Posts recentes

Ver tudo